É uma prova de 21 km, realizada no Dia Mundial do Meio Ambiente, em um Patrimônio Natural da Humanidade, tendo como cenário uma das Novas Sete Maravilhas da Natureza. Agora junte a isso uma grande organização e uma temperatura agradável para a prática de esporte. Parece uma prova difícil de melhorar? Pois a Meia Maratona das Cataratas conseguiu, com uma importante mudança na edição do último domingo. Agora sob responsabilidade da Itaipu Binacional, passou a não mais ter premiação em dinheiro, entretanto manteve os troféus para as faixas etárias e moradores da cidade, claramente dando ênfase ao atleta amador. O resultado? Uma corrida com um clima de festa e com disputa acirrada entre os participantes mais competitivos pelos cobiçados lugares no pódio.

 

9a-Meia-Maratona-das-Cataratas-Foto-Marcos-Labanca-133-1024x721

 

Com um percurso inteiro no Parque Nacional do Iguaçu, a Meia das Cataratas, que está na nona edição, é uma das provas que deve ser realizada ao menos uma vez na vida. A altimetria é desafiadora, com duas subidas mais íngremes, mas entre os quilômetros 8 e 9 está a recompensa: a passagem pelas Cataratas do Iguaçu, com suas 275 quedas.

Os vencedores foram o paraguaio Orlando Elizeche, com 1h12min21seg, e Nilma Rezende, moradora da cidade, com 1h31min09seg.

O resultado completo pode ser conferido em: MeiadasCataratas.com.br

O ponto negativo ficou por conta da falta de medalhas para alguns atletas (cerca de 300) que chegaram mais tarde. A organização comunicou que as enviará a todos que ficaram sem.

 

A Minha Prova

Uma semana após ter feito a Maratona do Rio, o objetivo era apenas tentar correr forte desde o início, mas sem grandes expectativas. A temperatura colaborou e, apesar do sobe e desce, consegui manter o pace na primeira metade da prova. Após a passagem pelas cataratas e o retorno no quilometro 10, iniciava a maior subida do percurso, onde o desafio era não deixar o ritmo cair tanto e chegar inteiro no topo. O visual certamente ajudou e as pernas resistiram.

A partir de então eu só mirava o pórtico de chegada. A velocidade foi aumentando nos últimos quilômetros, me levando a ultrapassar vários atletas. No fim, a surpresa: tempo de 1h22min35seg. Simplesmente meu novo recorde pessoal nos 21 km, o que me garantiu a 19a colocação no geral e 3o na categoria por faixa etária.

 

20160605_114210-01

 

A Cidade

Foz do Iguaçu é um destino não muito badalado, mas que certamente vale a visita. É possível conhecer as cataratas tanto no lado brasileiro quanto no argentino, pois são visões diferentes. No nosso lado, o passeio do Macuco Safari te leva de bote aos pés das quedas. Apenas se prepare para ficar ensopado!

 

20160604153813-01

 

A Itaipu, a maior geradora de energia limpa e renovável do mundo, possui boa estrutura para turistas e pode ser visitada em poucas horas. Impossível não ficar impressionado com o tamanho da estrutura e o volume de água.

Créditos das fotos:  Marcia Fontanella, Marcos Labanca, Organização do evento  e Arquivo Pessoal

 

Atua na área financeira, é mestre em administração de empresas e maníaco por maratonas. Sempre que pode procura aliar as duas atividades que mais gosta: viajar e correr.

Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não necessariamente refletem a opinião e posição do Jornal Corrida.