Pensa que é só o seu relógio que precisa ser regulado ao novo horário que entra em vigor, em grande parte dos estados do Brasil, a partir de 4 de novembro? Errou, seu corpo também! Principalmente aqueles acostumados aos exercícios físicos. “Pelo menos no início desse período é conveniente levar em conta o que significa dormir e acordar uma hora mais cedo ao planejar seu treino”, sugere Jacob Faintuch, clínico geral do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

Segundo Faintuch, o ideal para adaptar o organismo  é manter uma boa qualidade do sono. A melatonina, hormônio regulador do sono, acionado pela falta de luz, é alterada com a mudança de horário. Por isso, é importante evitar situações estimulantes no final da tarde ou no início da noite, pois quanto mais agitação maior a dificuldade do organismo em relaxar. “Exercícios físicos muito extenuantes devem ser evitados neste período”, recomenda o médico. Ele também chama a atenção para outros comportamentos que podem prejudicar o descanso, como se alimentar demais no jantar ou ir dormir sem comer. A má qualidade do sono pode prejudicar o rendimento do indivíduo nas atividades durante o dia, deflagrando um círculo vicioso. A manutenção do sono, principalmente nos primeiros dias da alteração do horário, é fundamental para evitar complicações cardiovasculares. “Dificuldade de dormir ou de acordar podem predispor o paciente a problemas cardíacos. O infarto, por exemplo, costuma ocorrer algumas horas depois de acordar e, principalmente, na segunda-feira, dia que o estresse comumente aumenta”, diz Jacob Faintuch. O especialista afirma que o desequilíbrio do organismo ocorre nos  primeiros dias da mudança no relógio. Após esse período e com os devidos cuidados tomados, o corpo se adapta tranquilamente.

Vá acostumando!
  • Nas semanas que antecedem a mudança (4 de novembro de 2018), tire o celular ou despertador do modo soneca (aquele que adoramos e a quem sempre pedimos “mais 5 minutinhos”). Ao contrário, vá aos poucos ajustando para minutos antes do que você está acostumado. Dez minutos num dia, quinze em outro, quando chegar o dia seu corpo já estará adaptado e não sentirá tanto.
  • O mesmo vale para a hora de dormir. Comece a relaxar antes e tente dormir um pouco mais cedo a cada dia. Vale contar com a ajuda de chás relaxantes, como camomila e cidreira.
  • Evite comer muito ou após às 22h para não afetar seu sono e, consequentemente, seu despertar.