Já pensou em correr na neve, com temperatura abaixo de zero grau? Não, não é coisa de programa de televisão de aventuras extremas. É possível e exige muito menos do que você imagina.

Foi realizado no domingo, 27 de agosto, o Mountain Do – Fim do Mundo, na cidade de Ushuaia, na Argentina. Apesar de outras duas edições terem sido realizadas, em 2014 e 2015, desta vez o evento ocorreu pela primeira vez no inverno, com percurso totalmente na neve. Com as distâncias de 10, 21 e 42 km, a organização divulgou que passará a fazer essa etapa anualmente, sempre nesse período, no último fim de semana de agosto.

A Prova

Como de costume, o Mountain Do não deixa que a falta de informação seja um problema. Com um mês de antecedência, divulgou vídeos informativos em seu canal no YouTube e nas redes sociais, com todos os detalhes e principais dúvidas dos participantes. Na véspera da prova, realizou também palestras técnicas durante a retirada do chip e número de peito (o kit é enviado previamente). Tudo para tranquilizar os corredores, que em grande parte, não são profissionais e enfrentam esse tipo de condição pela primeira vez.

No dia do evento foram disponibilizados ônibus, gratuitos aos participantes, que partiram do centro até o Cerro Castor, a estação de esqui onde é realizada a prova, a 25 quilômetros da cidade. A estrutura do local é robusta para os atletas e acompanhantes. São três refúgios, com banheiros, lanchonetes e loja de roupas e equipamentos, onde é possível comprar de última hora algo que esteja faltando. Por questões de segurança, há uma lista de itens obrigatórios para as provas de 21 e 42 km, que inclui lanterna, mochila ou cinto de hidratação com pelo menos um litro de água, apito, manta térmica e jaqueta impermeável.

Com quatro graus negativos, às 7h40 foi dada a largada para as três distâncias. Ainda escuro, a utilização de lanterna era necessária nos primeiros quilômetros. O piso, todo em neve, exige atenção, pois apesar de serem passadas máquinas de frisar e deixá-lo menos irregular, há buracos e trechos escorregadios. Contudo, na maior parte, se assemelha a correr na areia e cascalho. O uso de tênis para trilhas, com cravos, é fundamental.

Conforme o dia começava a clarear, a beleza do percurso passava a saltar aos olhos. São bosques, vales e montanhas, que se perdem no horizonte, tomado pela neve. Até mesmo para os mais competitivos, é impossível deixar de apreciar um visual como aquele. Com aproximadamente duas horas de prova, começou a nevar, deixando o cenário completo.

correr na neve em Ushuaia
crédito fotos: Carlos Maldonado

 

O nível de dificuldade é médio na maior parte do percurso, com pouca variação de altimetria. Já no trecho de alta montanha, entre os quilômetros 10 e 15, a elevação é grande e exige técnica para não se desgastar demais e comprometer a prova.

Premiação

A prova premia, no masculino e feminino, os três primeiros colocados no geral e nas categorias por faixa etária para as distâncias de 21 e 42 km. Para os 10 km, apenas os cinco primeiros no geral.

A cerimônia de premiação foi realizada às 19h30, na Secretaria da Cultura, no centro da cidade. Em seguida, uma confraternização em um bar próximo, com pista de patinação no gelo anexa.

A cidade

Ushuaia é uma cidade portuária, com cerca de 60 mil habitantes, localizada no extremo sul da Argentina. É a mais austral do planeta, por isso a fama de fim do mundo. As temperaturas variam entre 10 graus no verão e -10 graus no inverno. Costuma nevar quase que diariamente nos meses de julho e agosto.

A cidade em si não possui grandes atrativos, mas o que chama a atenção são as belezas naturais ao redor. Situada às margens do Canal de Beagle e aos pés das montanhas nevadas, o cenário é belíssimo, o que acaba atraindo muitos turistas todos os anos, além dos praticantes dos esportes de neve, como o esqui e o snowboard. Para chegar, não há voos diretos partindo do Brasil, portanto a conexão em Buenos Aires é inevitável. Mas pode ser uma oportunidade de passar alguns dias também na capital portenha.

O que fazer

Há várias agências na cidade que oferecem passeios, mas alguns só estão disponíveis no verão, como ver os pinguins na Ilha Martillo, pois no inverno eles somem de lá.

No período da prova é possível fazer o passeio de barco pelo Canal de Beagle e ver o farol do fim do mundo. A visita ao parque Nacional e o trem do fim do mundo também são atrações interessantes. Algumas experiências são diferentes, como andar em trenó puxado por cães, ou fazer a caminhada calçando raquetes para neve.

Para quem quiser esquiar, além do próprio Cerro Castor, há também o Glaciar Martial, estação menor e menos badalada. Nos locais são oferecidas aulas para os iniciantes no esporte.

Na cidade, a Av. San Martin é a principal, com a maior concentração de lojas, cafés e restaurantes.

Onde Comer

Dois pratos típicos são bastante procurados pelos turistas. A centolla (ou king crab) é o caranguejo gigante que vive em águas geladas. Boas opções para provar são os restaurantes Tia Elvira, El Viejo Marino ou o Tante Nina. Mas há vários outros. Já o cordeiro patagônico, outro prato comum por lá, pode ser saboreado no La Estancia Parrilla ou no Bodegon Fueguino.

Ficou animado? Então já pode se programar. A edição 2019 será no dia 25 de agosto. É uma experiência que dificilmente se esquece.

Todos os detalhes no site do evento.

Resultados – Edição 2018

Ao todo foram 248 concluintes na três distâncias. Confira os primeiros colocados:

42 km – Masculino

  1. DARIO M. GUZMAN 02:57:41
  2. NORMAN SEBASTIAN ARAVENA 02:57:44
  3. CESAR CRISTINO RUIZ 03:01:15

42 km – Feminino

  1. INGRID TRINDADE 03:40:04
  2. ISABELA SILVA GONZAGA 03:44:26
  3. ROSANA APARECIDA GONÇALVES 04:04:19

21 km – Masculino

  1. EDINILSON CARDOSO 01:15:56
  2. FEDERICO CICHERO 01:20:06
  3. WANDERSON DO NASCIMENTO 01:20:09

21 km – Feminino

  1. GIANINA GABRIELA RIOS 01:39:57
  2. SARILA KLOSTER 01:44:08
  3. NELI TERESITA QUINTON 01:44:43

10 km – Masculino

  1. JOSÉ ANTONIO GARCÍA 00:49:58
  2. MICHEL LUCAS SALIM 00:51:28
  3. ALEJANDRO PARSÓN 00:53:54

10 km – Feminino

  1. PAOLA ALEJANDRA MUÑOZ 00:49:22
  2. LUZ MARINA RIVERO 00:56:22
  3. JOSEFINA MARIA ESTEBAN 00:57:25

 

Créditos fotos: Carlos Maldonado / Divulgação

Atua na área financeira, é mestre em administração de empresas e maníaco por maratonas. Sempre que pode procura aliar as duas atividades que mais gosta: viajar e correr.

Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não necessariamente refletem a opinião e posição do Jornal Corrida.