Atividades como a corrida melhoram o humor e aumentam otimismo. Estudo publicado pela revista científica BMC Public Health mostra que pessoas fisicamente mais ativas parecem ter uma visão mais otimista da vida.  Numa pesquisa realizada por especialistas do Hospital Universitário Kuopio, na Finlândia, mais de 2,4 mil homens com idades entre 42 e 60 anos foram entrevistados sobre seu humor e nível de atividades físicas e avaliados quanto ao condicionamento físico. As análises indicaram que aqueles que gastavam menos de uma hora por semana fazendo exercícios físicos de moderados a vigorosos eram 37% mais propensos a se sentirem sem esperança, comparados àqueles que se exercitavam pelo menos 2,5 horas semanais. Os participantes que apresentaram níveis mais altos de desesperança tinham “características mais pronunciadas” de síndrome metabólica, um conjunto de sintomas que aumentam os riscos de doença cardíaca e diabetes tipo 2. Eles também eram menos ativos e estavam em pior forma física. E os exercícios vigorosos se mostraram mais eficazes para reduzir esse sentimento negativo. Os pesquisadores ressaltam que, mesmo considerando depressão, idade, tabagismo, status socioeconômico e outros fatores relevantes, a relação entre os níveis de atividade física e o sentimento de esperança permanecia considerável. No entanto, análises mais profundas mostraram que a depressão seria um fator responsável pela relação.

Para os especialistas do Hospital Universitário Kuopio, “as descobertas atuai s sugerem que a desesperança e a depressão são sobrepostas, mas entidades distintas”. E os resultados indicam que ser ativo pode ajudar a “melhorar ou proteger contra sentimentos de desespero”, mesmo se não houver melhora no condicionamento físico.