Corrida da vida real

Começar ou recomeçar? – Por Karina Teixeira

recomeçar
por Karina Teixeira

O que é mais difícil: começar a correr ou recomeçar? No meu caso foi recomeçar. E acredito que para muitos pode ser assim. Antes de explicar o porquê, vou resumir o que aconteceu comigo.

2018 fiquei praticamente fora do game das corridas por conta de volume de trabalho. Infelizmente a frase “quem quer arruma tempo” não cabia para mim. Sair do trabalho às 3h da manhã e voltar às 9h só me deixava com tempo para tomar banho e dormir o mínimo que fosse (neste vídeo explico um pouco mais). Acabou que a situação ficou insustentável e eu me demiti em outubro de 2018. E de lá pra cá venho buscando esse retorno que foi muito mais difícil do que eu imaginava.

Estamos acostumados com aquela frase “o corpo tem memória muscular! Vai voltar facinho!”. Mas isso foi pura ilusão. Acredito nessa frase quando o período sem treinos frequentes é bem menor. 2 semanas… 2meses…. Mas um ano foi coisa demais. Eu já não tinha mais condicionamento nem músculos. No lugar, carregava 3 sacos de arroz a mais. Achar que voltaria ao meu pace antigo rapidamente foi ousadia demais da minha parte.

Óbvio que não foi assim. Antes de voltar a correr km e mais km, eu precisava preparar meu corpo novamente para isso. Fortalecimento, readaptação cardíaca/pulmonar e também treino mental. E o mental é a pior parte: imaginem a cabeça de quem já chegou até os 75k, não conseguir fazer 5k correndo direto. É uma frustração imensa.

No meu caso ainda tinham todos esses kg a mais. Eu precisava eliminar vários deles para poder voltar a correr. Porque não importa o quanto a gente aceite nossos corpos “fora do padrão”. Na corrida a conta é muito simples: mais peso, maior a dificuldade em correr. Mas aí você percebe que você tem que aceitar sua condição atual. Enquanto você não aceitar, você vai continuar batendo cabeça e sofrendo ainda mais para retornar.

E como compartilhar isso? Ninguém mostra o lado difícil dos treinos. Só as grandes conquistas. Ninguém entendia como eu já tinha feito 75k e não conseguia fazer 5k. Foi complicado demais. Até que de fato eu aceitei e resolvi compartilhar isso pro mundo da forma mais aberta possível. E foi quando eu vi que assim como eu, tinham várias outras pessoas na mesma situação, se achando a criatura mais bizarra do universo por estar passando por isso.

Por isso eu acredito que recomeçar a correr seja muito mais difícil que começar. Quando começamos não temos parâmetro de nada. Apenas vamos tentando ser melhores a cada dia. E cada pequena conquista, é uma comemoração imensa. E quando estamos retornando não. Nós ficamos nos comparando com o melhor que já fomos. Sem cair na real que o retorno exige paciência. MUITA paciência.

Então se você está passando por isso, a dica que eu te dou é: pare AGORA de se comparar. Mas faça o melhor que você puder fazer HOJE. É assim que as coisas vão voltar a fluir.

Comemore cada pequena conquista, assim como quando você começou. Os primeiros 3k direto, os 5k, 8k, 10k… Dê valor a tudo isso de novo. É a sua jornada!

O começo do retorno é muito difícil e você ainda sente incômodo em tudo. Mas chega um ponto que os treinos simplesmente começam a fluir mais facilmente. Não que seu pace já esteja de volta, mas você começa a sentir mais prazer de novo. E o desafio está em chegar nesse ponto.

Não desista até chegar lá! Eu não desisti… E agora em abril já se foram 2 sacos de arroz e reconquistei os 5k e os 10k com ajuda nutricional e assessoria. Rumo às próxima conquistas!

Acompanhem no meu canal, alguns episódios desse retorno! No primeiro vídeo, complemento exatamente sobre isso que escrevi aqui. Aproveito para compartilhar também o vídeo de como comecei a correr.

 

Apaixonada por corrida desde 2012, seja por asfalto ou trilhas, longas ou curtas, desafio ou diversão. Tudo tem seu momento. Com o perfil Corredora da Vida Real, defende a corrida da forma que que for prazerosa para cada um, considerando todos os desafios do nosso dia a dia.