Muitas vezes, quem sofre com doenças crônicas como bronquite, asma, rinite ou qualquer outro tipo de inflamação nas vias respiratórias tem limitações físicas e acaba evitando a prática das atividades físicas o que é um erro. O que poucos sabem é que a corrida também traz inúmeros benefícios para esses pacientes.

O exercício ajuda a aumentar a entrada de ar nas vias respiratórias e funciona como um vasodilatador, facilitando a circulação sanguínea e o trabalho do coração. Segundo o fisiologista do esporte da Universidade Federal de São Paulo Raul Santo, desde que treinem de forma moderada e com orientação, esses pacientes tendem a se adaptar com a carga de exercício e passam a utilizar melhor o oxigênio, respirando com mais facilidade à medida que fortalecem os músculos responsáveis pela respiração.

É importante lembrar que qualquer um, independentemente da idade e das condições fisiológicas, deve ter a preocupação de fazer exames médicos e procurar orientação de um treinador antes de iniciar a prática de atividades físicas. Mas no caso daqueles que sofrem de dificuldades respiratórias esses cuidados são especialmente necessários para evitar qualquer problema ou desconforto.

Há dois exercícios específicos que podem ajudar esses pacientes. Num deles é preciso relaxar o pescoço e os músculos dos ombros e depois inspirar pelo nariz e expirar pela boca algumas vezes, colocando atenção no ar que entra e no ar que sai. Outro modo de preparar os músculos da respiração para o treino é deitar com as costas no chão, flexionar as pernas, colocar uma mão na barriga e outra em cima da caixa torácica e, na sequência, inspirar profundamente. Para o exercício fazer efeito é preciso fazer respiração abdominal: a barriga (abaixo do umbigo) deve se levantar, mas o peito continua parado. Esses exercícios devem ser executados durante cinco minutos aproximadamente.

Além de a corrida não precisar de muitos equipamentos ou lugares específicos para ser praticado, é relativamente fácil adaptar-se aos treinos, que traz entre seus benefícios o condicionamento físico e controle da obesidade, dos níveis de colesterol, do diabetes e da hipertensão. Curiosamente, alguns acompanhamentos revelam que pessoas com complicações respiratórias que incluem a corrida supervisionada em sua rotina passam a ter mais facilidade em praticar esportes do que pessoas sadias que não têm o hábito de se exercitar.

Fique atento! 

– Antes de qualquer coisa, converse com seu médico e opte por iniciar a prática em uma fase de bem-estar
– Comece devagar e fique atento a suas reações físicas
– Não faça exercícios sozinho em áreas isoladas como trilhas e parques, prefira sempre treinar junto com outras pessoas
– Evite exercitar-se fora de casa quando a temperatura estiver muito elevada
– Prefira treinos mais leves ou num clima controlado em dias secos, com baixa umidade do ar
– Não aumentar a carga do exercício sem antes consultar um preparador físico

Entenda cada um dos problemas
Asma. Caracteriza-se pela inflamação e pelo estreitamento dos brônquios (tubos que levam o ar aos pulmões), dos bronquíolos (ramificações menores da “árvore” pulmonar) e pela formação de muco. Durante um ataque, os músculos das vias respiratórias se contraem (broncoespamos) e a parte interna da passagem de ar incha. Isso diminui a quantidade de ar, impedindo a respiração. Quando isso acontece, o asmático precisa de tratamento imediato.

Bronquite. Inflamação que estreita as vias áreas, é passageira e curável, podendo ser causada ou agravada pelo fumo ou em consequência da infecção por vírus ou bactérias. Asma é uma doença que provoca alteração dos músculos das vias áreas. É crônica e incurável, podendo apenas ser controlada. Segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (Asbai), 12% da população adulta tem asma.

Rinite alérgica. Reação imunológica a partículas inaladas que são consideradas estranhas pelo organismo. Essas substâncias são chamadas de alérgenos. O nariz é a porta de entrada para o ar e substâncias carregadas por ele, e tem a função de filtrar as impurezas, além de umidificar e aquecer o ar que vai chegar aos pulmões, mas o sistema imunológico de pessoas com esse problema apresenta reação exagerada aos alérgenos. Na crise da rinite há obstrução nasal, coriza, espirros e coceira no nariz. Se a pessoa tiver predisposição para asma, pode apresentar uma crise de asma, com falta de ar e cansaço.